Ocorrência de enchentes aumenta as chances de contaminação pela urina do rato

leptospirose (1)

Ocorrência de enchentes aumenta as chances de contaminação pela urina do rato ou pelo mosquito que sobrevive em locais com água

LEPTOSPIROSE – É nas enchentes e inundações que a urina dos ratos, presente em esgotos, bueiros, tocas e outros, mistura-se à água e a lama das enxurradas. A urina das ratazanas traz junto a bactéria Leptospira, que penetra a pele com ferimentos ou cortes, após muito tempo em contato com a água, ou ainda através das mucosas (nariz, boca, olhos, genitais e ânus). Essas bactérias podem permanecer vivas por horas, dias e até semanas se estiverem em local úmido, quente e sem incidência direta da luz solar.

Qualquer pessoa que tiver contato com a água de enchentes ou lama contaminada poderá se infectar. A presença de pequenos ferimentos na pele facilita a penetração, que pode ocorrer também através da pele íntegra, quando o tempo de permanência na água contaminada for prolongado. Além da água e lama de enchentes, as pessoas se contaminam limpando ralos, fossas e esgotos, caindo em córregos, mexendo em entulhos e lixo, catando lixo, nadando e pescando em beira de lagos, represas e rios ou mesmo pelo contato direto com a urina do roedor.

ENCHENTES

Sintomas
A maior parte das pessoas que teve contato com a bactéria adoece entre 7 a 15 dias em média. Os principais sintomas da doença são febre, dores no corpo, dor de cabeça, canseira no corpo. Algumas pessoas apresentam sintomas mais graves tais como febre alta, icterícia (olhos amarelados), hemorragias, tosse, falta de ar, aumento ou diminuição no volume de urina (insuficiência renal) e, em alguns casos, pode ser fatal. Procure o médico.

Como prevenir
Deve-se evitar o contato com água ou lama de enchentes e impedir que crianças nadem ou brinquem em ambientes supostamente contaminados. Se o contato com a água de enchente for inevitável, a única forma de reduzir o risco de contaminação é permanecer o menor tempo possível em contato com estas águas. Não se deve tentar salvar os pertences, pois quanto maior o tempo de contato com a água de enchente mais bactérias podem entrar no corpo, aumentando o risco de contrair a doença e desenvolver uma forma mais grave de leptospirose. Embora a possibilidade de se contrair leptospirose atravessando uma rua alagada seja muito menor do que quando a pessoa fica muito tempo dentro da água de uma enchente, não se deve andar na chuva sem calçados.

Dica:
Quando as águas das enchentes inundam os imóveis, após as águas baixarem, é necessário lavar e desinfetar, o chão, paredes, objetos e roupas atingidas, com solução de água sanitária, na proporção de um copo do produto para um balde com 20 litros de água limpa. Essa solução deve ser aplicada sobre as superfícies enlameadas e agir por 30 minutos. Após esse período a camada atingida pela solução deve ser removida e a operação repetida quantas vezes for necessário. A lavagem com água e sabão só deve ser realizada após a completa retirada da lama. Só executar essa desinfecção utilizando luvas, botas ou sacos plásticos duplos nos braços e pernas. Os alimentos que entraram em contato com a água da enchente devem ser jogados fora.

DENGUE – No verão os casos aumentam porque faz mais calor e chove muito, favorecendo o aumento da população do agente transmissor, o mosquito Aedes aegypti. Como são quatro tipos de um vírus, uma pessoa pode adoecer mais de uma vez e ter a dengue na forma mais grave ou hemorrágica. O mosquito se infecta picando uma pessoa doente e passando a contaminar outras pessoas. A fêmea deposita seus ovos em recipientes que contém água e 2 a 3 dias depois estes ovos transformam-se em larvas. O ciclo completo até virar mosquito adulto, dura de 30 a 45 dias;

Depositados na beira dos recipientes que acumulam água, os ovos, praticamente imperceptíveis a olho nu, podem resistir até 1,5 ano sem água, aguardando um descuido ou uma chuva para evoluírem para larvas e, posteriormente, para mosquitos. Como cerca de 80% dos focos do mosquito são encontrados dentro das casas, especialmente nos quintais, é imprescindível o cuidado permanente da população, durante o ano todo. Como não há vacina, a melhor maneira de prevenir a dengue é impedir que o mosquito se prolifere.

Sintomas
Os sintomas da dengue clássica são febre alta, fraqueza e prostração, dor no corpo e nas juntas, dor de cabeça e dores no fundo dos olhos. Se houver dois destes sinais mais a presença de febre alta, pode ser sinal de dengue hemorrágica, a forma mais grave da doença.

Como prevenir
Veja algumas medidas para afastar o risco da dengue de casa:

  • Pratos de vasos: Retirar ou virar ao contrário. Outra alternativa é colocar areia grossa ou furar.
  • Vasos de plantas e flores com água: Retirar a água do vaso e colocar a planta em vaso com terra.

  • Tampinhas, latas e embalagens: Recolher em saco plástico, fechar bem e colocar no lixo.

  • Garrafas, baldes e vasos vazios: Cobrir e colocar em local protegido da chuva.

  • Bebedouro de animais domésticos: Lavar com esponja e sabão pelo menos duas vezes por semana. Guardar se for viajar.

  • Caixas d’água: Verificar a tampa e trocar se estiver quebrada.

  • Ralos: Devem permanecer sempre desentupidas e sem pontos de acúmulo de água.

  • Calhas: Desentupir e limpar para a água correr livremente.

  • Piscinas: Clorar a água e manter coberta quando não estiver em uso.

  • Entulhos de obras: Cobrir e colocar em local coberto ou colocar no lixo reciclável

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s