Em 50 anos, Osasco teve oito prefeitos – Conheça o perfil de cada um deles!

GUAÇU
Três deles, Guaçu Piteri, Francisco Rossi e Celso Giglio tiveram dois mandatos. Já Emidio de Souza foi o único que conseguiu 2º mandato através de reeleição

Poderiam ser 12, mas no total são 8. Esse é o numero de prefeitos que a cidade de Osasco possui desde a sua Emancipação, que aconteceu no dia 19 de fevereiro de 1962, através da cerimônia de posse do primeiro prefeito, Hirant Sanazar; o primeiro vice-prefeito Marino Nicolleti e os primeiros vereadores.

Do total de oito, quatro prefeitos – Guaçu Piteri, Francisco Rossi, Celso Giglio e Emidio de Souza – conseguiram ser eleitos para um segundo mandato, porém, apenas Emidio conseguiu o segundo mandato através de uma reeleição, os demais, só conseguiram um novo mandato depois de alguns anos.

O primeiro a conseguir um segundo mandato foi Guaçu Piteri. Ele foi o segundo prefeito da cidade, e administrou Osasco entre os anos de 1967 e 1970. O segundo mandato veio somente depois de sete anos com a administração entre os anos de 1977 a 1982.

O segundo a conseguir administrar Osasco por duas vezes foi Francisco Rossi, que foi prefeito entre os anos de 1973 a 1977. Depois de 12 anos veio o segundo mandato que aconteceu entre os anos de 1989 a 1992.

Giglio também teve a oportunidade de governar Osasco por dois mandatos. O primeiro mandato aconteceu entre os anos de 1993 a 1996. Após a eleição de seu sucessor Silas Bortolosso (1997/2000), ou seja, quatro anos, Gilgio foi eleito para o seu segundo mandato que terminou em dezembro de 2004.

Emidio diferentemente dos demais, ele foi o único prefeito que conseguiu o feito através de reeleição. O primeiro mandato aconteceu entre os anos de 2005 a 2008. O segundo mandato terminou no dia 31 de dezembro de 2012.

Porém, independente de ter ou não o segundo mandato, é importante ressaltar que todos os prefeitos tiveram um papel fundamental para que Osasco alcançasse o posto de 5ª maior cidade do Estado de São Paulo. E essa transformação só veio através das obras executas nos governos de Hirant Sanazar, Guaçu Piteri, Humberto Carlos Parro, Francisco Rossi, Celso Giglio, Silas Bortolosso e Emidio de Souza. Veja abaixo um resumo das obras feitas por cada um deles.

Veja abaixo as obras de cada prefeito

Hirant Sanazar (1962-1967)

O primeiro prefeito de Osasco ficou com a responsabilidade de, literalmente montar o Executivo, desde a sua estrutura física à organização administrativa. Dentre os seus primeiros atos, destaca-se o asfaltamento das ruas da região central, desde a avenida Marechal Rondon à rua Antônio Agu. Além disso, foi feita toda a iluminação das ruas centrais até Presidente Altino.
A cidade vivenciava inúmeros problemas, pois enquanto bairro da Capital, era esquecido como qualquer outro bairro da periferia. Hirant teve que ser provedor de vários serviços, dentre eles, á água. Nessa época não havia água encanada, então, o prefeito enviava caminhões-pipa aos bairros para encher as caixas dos moradores.
Na área do transporte coletivo, Hirant criou as chamadas lotações. Também implantou o sistema de ambulâncias, a biblioteca municipal, e a Juco (Juventude Cívica de Osasco).

Guaçu Piteri (1967-1970 e 1977-1982)

O prefeito Guaçu Piteri enfrentou uma série de dificuldades financeiras, pois as suas duas administrações ocorreram sob a Ditadura Militar. Na época, ele pertencia ao MDB, partido que fazia frente ao militarismo.
A cidade era carente de infra-estrutura e saneamento básico. Com recursos federais, sua gestão fez o encanamento de água e a retificação dos córregos Bussocaba e João Alves, resolvendo os problemas de enchentes no KM 18 e no Jardim D’Abril.
Nessa administração foi criada a Fito (Fundação Instituto Tecnológico de Osasco), e feita a implantação de diversas escolas. A primeira creche de Osasco foi implantada pela primeira-dama Chella Piteri. Outros 36 Parques Infantis (Emeis) também foram construídos.
A administração voltou-se aos programas sociais, com a implantação do Plano de Educação para Saúde, em que era dada atenção à comunidade para todas as suas carências, inclusive emprego. A gestão deu início à urbanização de vários bairros levando asfalto e iluminação.

José Liberatti (1970-1973)

A administração de José Liberatti pode ser destacada pela urbanização de Osasco. Ele foi o responsável pelo desenvolvimento do primeiro Plano Diretor da cidade, que teve a contribuição do urbanista José Wilheim.
O remodelamento da cidade teve início pelo Centro, com a abertura de avenidas que tinham a finalidade de fazer a integração dos bairros periféricos com o Largo de Osasco. Foi na sua gestão a construção da ponte que liga o Centro a Presidente Altino, seguida da abertura da avenida Maria Campos.
A urbanização alcançava ate a ponte do Rochdale e o trecho que liga à marginal do rio Tietê. É bom ressaltar que nesta época ainda não existia a rodovia Castelo Branco.
Foi na gestão de Liberatti que se desenvolveu o projeto da passagem do elevado ao Jardim das Flores. Nessa época, foram abertas as principais avenidas que interligam a cidade com as avenidas dos Remédios, João Ventura, Getúlio Vargas (integração zona Norte) e Autonomistas (liga toda a região Oeste).
O prefeito José Liberatti também foi o responsável pela instalação do primeiro quartel do Corpo de Bombeiros na cidade.

Francisco Rossi (1973–1977 e 1989-1992)

Saneamento básico foi uma das principais preocupações do primeiro mandato do prefeito Frâncico Rossi. Sua administração foi responsável pela instalação do sistema de água na cidade. Só na área central foram feitas 11 mil ligações, além dos bairros da periferia. Por essa razão, a sua gestão foi responsável pela criação da Caemo (órgão responsável pela distribuição).
Nessa época houve explosão de escolas, pois a prefeitura instalou uma escola em cada bairro. Rossi criou um órgão responsável pelas obras de asfaltamento do município, a Prosasco, e também um órgão para administrar todos os assuntos da área de Saúde, a Fusam. A partir de então, Osasco deixou de ter características de bairro para ganhar perfil de cidade.
Em sua segunda gestão, foram construídas dez creches, em parceria com o Bradesco, a um custo de US$500 mil cada uma. Foi criada a escola especial para deficientes físicos, que virou referência para o Brasil.
Rossi desenvolveu um Plano Habitacional, com recursos dos cofres municipais, e construiu os prédios do Jardim Munhoz Júnior, além de urbanizar o Jardim Canaã. Também foi o responsável pela criação da Defesa Civil, além de municipalizar o serviço funerário.
Na área de urbanização, foi responsável pela construção do terminal de ônibus da Vila Yara, fez a ligação entre as avenidas Maria Campos e Bussocaba, criando uma rotatória na época conhecida por Cebolão. Também marcou sua administração com a construção do Viaduto Metálico Reynaldo de Oliveira, o “Ferrujão”.

Humberto Carlos Parro (1983-1988)

A administração do prefeito Humberto Carlos Parro foi marcada por ser uma gestão democrática, com participação popular, pois foi uma época em que o país estava saindo do regime ditatorial do Exército. Foi pioneiro ao lançar o orçamento com a participação popular, em que as entidades de bairro e organizadas podiam opinar na montagem da planilha de gastos municipal. Parro lançou o projeto habitacional Casa para Todos, que garantiu lugar para morar aos osasquense. Foi o primeiro a lançar o projeto de urbanização de área livre. Unificou a Fusam com a Secretaria da Saúde, desta forma possibilitando o surgimento de postos de saúde nos bairros. Finalizou a construção da ponte do Piratininga, ligando a avenida Getúlio Vargas à Visconde de Nova Granada.

Silas Bortolosso (1997-2000)

O destaque da gestão do prefeito Silas Bortolosso foi o investimento na área social. A administração ampliou a doação de cestas básicas, material escolar, agasalhos e cobertores. Apesar do baixo repasse de verbas do SUS (Sistema Único de Saúde) Silas manteve todos os serviços em funcionamento. Ele se orgulha do prêmio internacional que a Saúde de Osasco ganhou da fundação Abrinq, como exemplo para o país. Em um momento no qual as administrações executivas tentavam se adaptar às mudanças previstas pela Lei de Responsabilidade Fiscal, um dos grandes feitos da administração Silas foi não-endividamento da cidade. Todo o investimento na área social e em obras foi feito com recursos próprios.
Sua administração dedicou atenção especial aos idosos, com a construção do Centro de Atenção ao Envelhecimento, o maior da América Latina. Também criou cursos para terceira idade na Fito, e um ônibus para transportar os idosos e a construção de mais seis centros de convivência.

Celso Giglio (1993-1996 e 2000-2004)

O prefeito Celso Giglio inaugurou na cidade um sistema de parcerias com a iniciativa privada, que resultou na construção de diversos equipamentos para a cidade. Foi por meio das parcerias que Giglio construiu o primeiro Hospital e Maternidade Municipal. Reformou e ampliou a biblioteca e os Prontos Socorros Central e do Jardim Santo Antônio. Construiu escolas, creches e Emeis. Ampliou a Fito e a transformou em faculdade. Foi responsável pela construção dos terminais rodoviários do Helena Maria, Novo Osasco e Vila Yara. Urbanizou 80 das 144 favelas da cidade. Na Habitação, foram construídas 504 moradias dentro do programa Habitar Brasil (recursos do BID) e entregou 690 apartamentos (parceria com a CDHU). Em sua segunda administração Giglio destaca a realização de mais de 400 obras em todas as áreas. No entanto, o destaque maior fica por conta do aumento da arrecadação dos impostos, não só municipal, como estadual. Da região metropolitana, Osasco foi a cidade que apresentou o maior adicionado do ICMS (Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços), sendo que o crescimento ficou em 55% no período entre 2001 e 2003. A administração criou o projeto Bairro da Gente, em que todas as secretárias prestam serviços em cada bairro da cidade. Também foi responsável pela implantação do transporte escolar gratuito e do programa Bolsa Escola.

Emidio de Souza (2005-2008 e 2009-2012)

O primeiro mandato do prefeito Emidio de Souza, uma das áreas que ganhou mais destaque foi a habitação, com o inicio das obras de um projeto habitacional através da urbanização de 5 áreas (Morro do Sabão, Morro do Socó, Portal Menk, Portal Campo e Vila Vicentina) com recursos do PAC. No setor viário, Emidio realizou o prolongamento da avenida Hirant Sanazar, garantindo sua extensão até a avenida Prestes Maia e facilitando o acesso à rodovia Raposo Tavares; construção da avenida Hilário Pereira de Souza, ligando a Vila Yara ao Centro; construção da avenida Presidente João Goulart e o início das duplicações da avenida Visconde de Nova Granada. Uma das marcas da administração Emidio de Souza foi o fim das enchentes, que foi conseguida através de uma união dos governos estadual e federal no primeiro projeto antienchente da história de Osasco. Foram investidos R$20 milhões na implantação de dois piscinões, nos bairros do Rochdale e Jardim Baronesa, e da canalização aberta do Braço Morto do Rio Tietê.
Na educação Emidio priorizou a reforma de 137 unidades escolares; início da construção de 2 CEUS (Centros de Educação Unificada) nas zonas Norte e Sul da cidade; construção de 5 novas escolas da rede.
Na saúde foram feitas reformas 30 unidades de saúde, além de obras que permitiram a implantação do Parto Humanizado na Maternidade Amador Aguiar. Foram feitas ainda: a informatização de toda a rede, incluindo UBS, pronto-socorro e hospitais; a implantação do Samu, do Incor/Osasco e do CEO (Cento de Especialidades Odontológicas). Emidio de Souza foi eleito em outubro do ano passado para o seu 2º mandato que teve inicio no dia 1º de janeiro.
Fonte: Diário da Região

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s