Delegação de Osasco já soma 100 pontos nos Jogos Regionais

Texto: Giane Vieira

A 62ª Edição dos Jogos Regionais segue até sábado, 14/7, na cidade de Santo André. Algumas modalidades da Delegação de Osasco já retornaram trazendo grandes conquistas para o município:

osasco

  • Futebol Masculino – 1º lugar
  • Futebol Feminino – 2º lugar
  • Tênis Masculino – 2º lugar.
  • Atletismo Masculino – 2º lugar
  • Atletismo Feminino – 2º lugar
  • Badminton Masculino – 3º lugar
  • Badminton Feminino – 2º lugar
  • Basquete Masculino – 3º lugar
  • Capoeira Masculino – 6º lugar
  • Capoeira Feminino – 5º lugar
  • Ciclismo Masculino – 7º lugar
  • Judô Masculino – 5º lugar
  • Malha – 5º lugar
  • Taekwondo Masculino – 3º lugar
  • Taekwondo Feminino – 6º lugar

Na pontuação parcial, Osasco está na 5ª colocação, somando 100 pontos, atrás da Praia Grande, com 111; São Caetano do Sul, com 135,5; Santos, com 143; e São Bernardo do Campo, com 165 pontos.

osasco.jpg

A delegação de Osasco ainda disputará Bocha, Handebol, Natação, Tênis de campo, Vôlei e Xadrez. “Acredito que a equipe de Osasco irá alcançar bons resultados, pois está bem preparada”, disse Carmônio Bastos, secretário de Esporte, Recreação e Lazer.

Anúncios

Osasco realiza II Semana das Religiões de Matriz Africana de Osasco

Texto: Talita Castro

Imagem: Jean Bueno

A Prefeitura de Osasco, por meio da Coordenadoria de Políticas para as Mulheres, Pessoas com Deficiência, Promoção da Igualdade Racial e Diversidade Sexual, realizou nos dias 4, 5 e 10/7 uma programação especial em comemoração a “II Semana das Religiões de Matriz Africana de Osasco”. O evento teve por objetivo informar e conscientizar, a fim de evitar as práticas discriminatórias e preconceitosas contra essas religiões.

Na terça-feira, 10/7, no Centro de Formação dos Professores aconteceu o seminário: “O que o Racismo Não Conta (Palestra com o Babalorixá Odesi Domingues – coordenador de Articulação Política Fonsanpotma – SP)” e a Feira Afro Empreendedores.

O Babalorixá Odesi Domingues fez uma viagem pela história do negro e sua chegada ao Brasil. “As pessoas estão muito habituadas a entender o processo da escravidão, a vinda dos negros para o Brasil, como um processo religioso. Eu venho descontruir isso. O racismo esconde de nós parte da história. Não podemos ligar o negro a uma religião. Ele é muito mais do que isso. Também não podemos descontruir uma religião, um culto ancestral, por não entendermos a sua origem”.

Para a coordenadora Simone de Carvalho, eventos como a Semana das Religiões são muito importante. “Se falamos de outras religiões, aprendemos a nos respeitar e a conviver pacificamente. Enquanto houver falta de informação e, consequentemente, racismo, precisamos focar nos temas e atingir um público cada vez maior”.

Paticiparam do evento, a coordenadora do Centro de Referência em Direitos Humanos Marilena Lima, o presidente do Conselho Municipal da Promoção da Igualdade Social (Compir) de Osasco, Bruno Vicente Pimentel, e a vereadora doutora Régia.

 

Temas Abordados

No dia 4/7, no Calçadão da Rua Antônio Agú, ocorreu o samba de roda e curimba. No dia 5/7, no CATI (Secretaria de Assitência Social), a roda de conversa sobre “Direitos dos Terreiros e Povos Tradicionais”.

CID itinerante chega na Vila dos Remédios e leva cursos gratuitos de informática à população

Texto: Alan Santos

Na quinta-feira, 5/7, o secretário de Desenvolvimento,Trabalho e Inclusão (SDTI), Lau Alencar, foi conferir o novo local de parada da carreta do CID (Centro de InclusãoDigital Itinerante) na Vila dos Remédios. A carreta adaptada leva cursos de informática básica, com duração de 40h e acesso livre à internet, aos munícipes.

osasco

Serão formadas 4 turmas, totalizando 120 alunos que, ao final do curso, ganharão certificados. A carreta está localizada na travessa da Rua Francisco Boa Ventura de Lima com a Rua José Aureliana da Cunha, s/nº, ao lado da Escola Municipal Darcy Ribeiro, e o seu horário de funcionamento é das 8h às 17h. Interessados deverão efetuar sua inscrição diretamente na carreta.

Prefeitura de Osasco realiza zeladoria e manutenção em vários bairros

Texto: Olga Liotta
Fotos: Sérgio Gobatti/Secom/PMO

 

A Prefeitura de Osasco mobilizou as equipes das secretarias de Serviços e Obras (SSO) e Meio Ambiente (Sema) para a realização de ações de zeladoria e manutenção de vários bairros da cidade. As ações incluem poda de árvores, paisagismo, troca de lâmpadas, operação tapa buraco, roçagem, desratização e vistoria contra a dengue, remoção de lixo e entulho depositados em locais indevidos, obras de manutenção, pinturas de guias e postes, sinalização viária, entre outros.

Na zona Sul, a transformação já pode ser conferida na Praça do Samba, reduto tradicional daqueles que gostam de música, caminhada ou reunião de amigos. O local passa por reforma geral, com pintura, poda de árvores, paisagismo, reforma de guias, nivelamento das calçadas, roçagem, capinagem, manutenção dos brinquedos do playgrond e da academia ao ar livre, recuperação da pista de caminhada e das esculturas, entre outras melhorias.

Com a renovação do espaço, os moradores poderão apropriar-se da praça,  denominada Joaquim dos Santos Ribeiro, mas popularmente conhecida como Praça do Samba, e ajudar na sua manutenção, impedindo que despejem lixo em local indevido ou que destruam o patrimônio. A revitalização completa da praça está em fase de conclusão e será entregue à população no sábado, 14/7, em cerimônia que terá início às 14 horas.

Próximo dali, a Avenida Comandante Sampaio e as praças Cristo Rendentor e Florinda Sinegalha Saraiva também tiveram poda de árvores, limpeza e recuperação. Ainda na zona Sul, outro ponto a receber manutenção foi o Centro Esportivo e de Lazer Antônio Temporim, que foi revitalizado e entregue à população no sábado, dia 7/7. Entre as melhorias destaque para a renovação da Quadra de Bocha. Vale a pena passar por lá e conferir as melhorias.

No Jardim Bela Vista, a calçada em frente à UBS Santa Maria Goretti, na Avenida Analice Sakatauskas, 145, foi reformada, para melhorar a acessibilidade, atendendo um pedido dos usuários da unidade de saúde e comerciantes locais.

 

Zona Norte

Na zona Norte, os moradores do Parque Imperial, já podem notar a diferença no Escadão que liga as ruas Maria Eugênia da Conceição e Patrick Dimitruck. As tampas das bocas de lobo foram trocadas e alguns degraus do Escadão refeitos. O serviço contou ainda com capinagem, recuperação das valetas, pintura, e colocação de caixa de inspeção em duas saídas de esgoto para escoamento direto na rede coletora da Rua Maria Eugência.

As ruas Sanhaço, no Jardim Aliança, Arno Barreto de Magalhães e Viela Gaudêncio Rebelo, no Munhoz Júnior; Sérgio Ribeiro da Silva, no Bonança; e Rua Roberto Carlos Sassounian, no Portal, também já receberam a visita das equipes de zeladoria e manutenção.

Os próximos mutirões acontecerão no Jardim Rochdale, envolvendo as Avenidas Cruzeiro do Sul e Brasil e Rua Agudos, entre os dias 16 e 20/7; e na Vila Yolanda, entre os dias 23 e 27/7.

A administração está trabalhando pela recuperação dos espaços públicos, incentivando a população a apropriar-se desses lugares, para resgatar o convívio em sociedade e manter a cidade limpa e organizada.

 

Serviço

Os cidadãos podem solicitar serviços semelhantes. Basta fazer contato com a Central 156, que funciona 24 horas por dia. É importante que o cidadão ligue na Central 156 para registrar seu pedido e receber um número de protocolo, que permitirá o acompanhamento dos trabalhos. A Central também disponibiliza o telefone: (11) 3651-7080.

Curso de Libras segue com inscrições abertas

A Prefeitura de Osasco, por meio da Secretaria de Assistência Social (SAS), está com inscrições abertas para o curso de Libras. Poderão se inscrever até o dia 31 de julho pessoas com idade acima de 14 anos, deficientes auditivos e ouvintes, profissionais de qualquer área e afins. O projeto Libras Para Todos tem por objetivo a inclusão social da pessoa com deficiência dentro e fora do município, por meio da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

osasco

As inscrições podem ser feitas na sede da secretaria, localizada na Rua da Saudade, 180, no Jardim Bela Vista. Mais informações podem ser obtidas na coordenação do projeto Libras Para Todos, pelo telefone 2183-6727.

A aula inaugural será realizada no dia 4/8, às 14h, no Teatro Municipal Glória Giglio, na Avenida dos Autonomistas, nº 1.533, Vila Campesina. Esta primeira aula é realizada em um sábado, mas as demais são ministradas nos dias úteis da semana.

MAIS INFORMAÇÕES 

Secretaria de Assistência Social – Rua da Saudade, , Jardim Bela Vista.

Informações através do telefone: (11) 2183-6727.

Imagem relacionada

Audiência pública discute implantação do projeto “Família Acolhedora” em Osasco

Texto: Olga Liotta e Patrícia Bulbovas

Fotos: Jean Bueno

A Prefeitura de Osasco, por meio da Secretaria de Assistência Social (SAS), enviará ao Legislativo dentro de alguns dias o projeto de Lei para implantação do programa “Família Acolhedora”. O serviço visa oferecer acolhimento familiar a bebês e crianças com idade entre 0 e 18 anos que estejam em situação provisória de abrigo da prefeitura, geralmente afastadas de sua família de origem por terem tido algum direito básico violado.

36985552_1059608510861814_6372060278309257216_n

Caso o projeto seja aprovado, Osasco integrará as cidades que já fazem uso do serviço, que é instituído pela Lei Nº 12.010, de 2009, do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Para que o serviço seja amplamente discutido e entendido, a SAS abriu consulta pública no site e depois promoveu audiência pública quando, de modo democrático e transparente, foi possível conhecer mais sobre o programa e sua implantação na cidade e também esclarecer as dúvidas do público presente. Essa audiência resultou na alteração do projeto original que antes previa atendimento apenas às crianças até 3 anos de idade, além de outros ajustes.

36985552_1059608510861814_6372060278309257216_n

A secretária de Assistência Social, Elsa Oliveira, intermediou a audiência pública e o debate e esclareceu a iniciativa da prefeitura. “Estamos trabalhando de acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), que prevê esse projeto de família acolhedora há alguns anos. Em Osasco temos ao todo 102 crianças institucionalizadas, então é um passo importante, um avanço para o município implantar esse programa”, explicou Elsa.

“Nosso papel enquanto política pública de assistência é fazer com que nossas crianças institucionalizadas retornem para sua família de origem. Para isso, é feito todo um serviço em paralelo com essas famílias, preparando-as para receberem as crianças de volta. Enquanto esse processo é realizado, entramos com o serviço da família acolhedora, que vai acolher essas crianças por um período indeterminado, que em média dura cerca de um ano e meio. A passagem da criança pela família acolhedora traz inúmeros benefícios à socialização e ao desenvolvimento saudável nessa faixa etária e esse será mais um serviço que queremos disponibilizar às crianças em situação de abrigo municipal”, complementou Elsa.

A psicóloga Isabel Penteado, diretora executiva do Instituto Fazendo História e idealizadora do projeto que está implantado em municípios como São Paulo, Jundiaí e Campinas, foi convidada para ministrar uma palestra durante a audiência pública. Ela apresentou dados da institucionalização de crianças e adolescentes no Brasil, bem como do programa de Acolhimento Familiar e reforçou a importância do serviço.

“Esse programa propõe resgatar um direito da criança, como ter um álbum de fotos de sua infância e um histórico de vida, para quando for adulta apresentarm uma referência de vida. Os benefícios são imensuráveis. A família acolhedora tem a guarda provisória da criança até que ela retorne à sua família de origem ou de adoção”, disse.

Segundo Penteado, o número de municípios participantes cresceu nos últimos anos, bem como o de acolhimentos, mas ainda não é o adequado: 93% das crianças e adolescentes brasileiros vivem em abrigos institucionais e apenas 7% estão em serviços de família acolhedora. Dados do censo SUAS – 2017 apontam que o serviço de acolhimento familiar no Brasil em 2014 apresentava 1.770 crianças e adolescentes sob os cuidados de uma família acolhedora em 315 municípios. Em 2016 havia 1.837 crianças e adolescentes sob os cuidados de uma família acolhedora em 522 cidades do país.

Sobre a implantação

A Secretaria de Assistência Social irá cadastrar e capacitar as famílias voluntárias que desejam aderir ao serviço. Após esse processo, as famílias receberão as crianças que estão nos abrigos institucionais. Cada família ficará com uma criança apenas, com exceção das que escolherem fazer o acolhimento de grupos de irmãos. Para ajudar nas despesas, as famílias receberão uma bolsa auxílio no valor aproximado de um salário mínimo, bem como suporte de equipes especializadas em acolhimento familiar.

Para aderir, é preciso cumprir alguns pré-requisitos. Entre eles estão a faixa etária dos acolhedores que deve ser acima dos 25 anos e ter apoio e consentimento familiar; não ter antecedentes criminais; comprometer-se com os cuidados do menor até o seu encaminhamento à família de origem ou adotiva; dispôr-se a se preparar continuamente para o momento da despedida, quesito importante no processo de acolhimento; e ir aos encontros quinzenais com as equipes de apoio e recebê-las nas visitações periódicas, entre outros critérios. A família acolhedora também não pode estar no cadastro nacional de adoção.

Benefícios

Entre os inúmeros benefícios oferecidos aos pequenos com o serviço de acolhimento familiar estão o desenvolvimento da linguagem, desenvolvimento motor, autonomia, socialização e cognição, que é promovido pela qualidade no cuidado e no apego seguro de seu cuidador de referência.

Participaram da audiência pública a diretora da Proteção Social Especial (DPSE) Danielle Bueno; o diretor da Proteção Social Básica (DPSB) Laércio Mendonça; técnicos da SAS; os secretários Bruno Mancini (Seplag) e Lau Alencar (SDTI); os secretários adjuntos Deisi Ventura (Assistência Social), Fábio Grossi (Setran); Marcos Miguel, presidente do CMDCA; Gilma Rossafa, presidente do CMAS; Dr. Samuel Karasin, juiz da Vara da Infância e Juventude de Osasco; Sérgio G. Filho, presidente da AMAMOS (Casa de Acolhimento para Crianças e Adolescentes de Osasco); os conselheiros tutelares da região SUL Maria Lúcia, Rosa Amorim e Juvêncio (Sul) e Graciele Macedo, da região Central;  a assessora Adriana, representando o vereador Josias da Juco, entre outros.

Fundo Social de Solidariedade entrega cadeiras de rodas

Texto: Marco Borba

Imagens: Ana Paula Andrade

O Fundo Social de Solidariedade da Prefeitura de Osasco realizou na quarta-feira, 11/7, a entrega de 13 cadeiras de rodas, um par de muletas e dois colchões “caixa de ovo” a munícipes cadastrados no órgão. As pessoas com necessidades especiais que precisam dos aparelhos, devem se cadastrar no Fundo Social e passar por avaliação com assistentes sociais.

1

A entrega foi feita pela primeira-dama e presidente do Fundo Social, Aline Lins. O objetivo é garantir melhor qualidade de vida aos que necessitam dos benefícios. As cadeiras entregues são fruto da doação do Rotary Clube de Osasco, em maio, ao Fundo Social.

1.jpg

Com a distribuição, o Fundo Social vem aos poucos diminuindo a fila de espera dos que precisam destes aparelhos. Informações sobre o cadastro podem ser obtidas pelo telefone 3652-9400.